Combate ao desperdício de alimentos: como o plástico pode ajudar?

No Brasil, o desperdício de alimentos assume números preocupantes. De acordo com um estudo sobre hábitos de consumo, divulgado em 2018, pela Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa), cada brasileiro descarta, em média, 128,8 quilos de comida por ano.

Arroz, feijão, carne bovina e de frango são os itens mais desperdiçados, conforme o levantamento. Entre as razões, estão o não aproveitamento das sobras e a compra dos produtos em grande quantidade, sem o uso de técnicas adequadas de armazenamento, o que contribui para a deterioração.

O combate ao desperdício de alimentos é fundamental, ainda mais se considerarmos os números (igualmente alarmantes) da fome mundial. Uma das formas de fazer isso é utilizando embalagens plásticas, que aumentam, de maneira significativa, a durabilidade dos produtos. Confira mais detalhes sobre isso em nosso post!

Por que o desperdício de alimentos no Brasil é tão elevado?

O desperdício acontece, muitas vezes, sem que as famílias percebam. Uma refeição farta, normalmente, gera sobras que acabam não sendo reaproveitadas. Não são raros os casos de produtos armazenados de maneira inadequada, que estragam rapidamente e têm como destino o lixo.

Em restaurantes, isso também é bastante comum. Ainda hoje, poucos consumidores têm o hábito de levar a sobra para casa, para consumo em outro momento. O estabelecimento, por sua vez, também precisa seguir regras rígidas da vigilância sanitária, que determinam o descarte dos produtos não consumidos, pelo risco de contaminação.

Além disso, outras razões levam ao desperdício de alguns produtos: compras em excesso, aproveitando promoções; falta de cuidado no armazenamento, o que faz com que alguns itens com validade maior sejam consumidos antes de outros prestes a vencer; e falta de planejamento, tanto das compras quanto dos cardápios.

Para combater esse grave problema, várias iniciativas são fundamentais:

  • promover ações de conscientização do consumidor acerca da importância de evitar sobras e divulgar formas inteligentes de armazenamento para consumo posterior;
  • educar as pessoas para que entendam a importância do consumo consciente, evitando compras desnecessárias e em grandes quantidades e fazendo um planejamento que permita aproveitar melhor os ingredientes;
  • divulgar quais são os meios adequados de conservação, para preservar a integridade dos produtos por mais tempo.

Porém, é importante destacar que o consumidor final não é o único responsável pelo desperdício. Até mesmo os supermercados respondem por um enorme volume de alimentos descartados, seja por falta de soluções adequadas de armazenamento, seja por problemas relacionados ao transporte. No Brasil, 41 mil toneladas de alimentos são desperdiçadas por ano.

Como o plástico ajuda a reduzir o desperdício de alimentos?

A gravidade do problema pode ser reduzida tanto promovendo a conscientização dos consumidores quanto introduzindo tecnologias capazes de conservar os alimentos e aumentar sua vida útil. Embalagens plásticas estão entre as principais soluções para isso.

Muito além dos utensílios tradicionais conhecidos por qualquer dona de casa, o plástico oferece soluções inovadoras e sustentáveis para a indústria alimentícia. Um exemplo é o plástico AlpFilm Protect, que inibe a proliferação de bactérias e conserva frutas, verduras e carnes por até um mês.

O material, desenvolvido com a colaboração de pesquisadores da USP, UFSCAR e Unesp, evita a multiplicação de fungos e bactérias dos alimentos embalados, aumentando a sua durabilidade. Com seu uso, frutas, verduras e legumes, que normalmente são mais perecíveis, podem durar até um mês, em condições adequadas de consumo.

Embora seja um produto inovador, o plástico AlpFilm Protect não é a única tecnologia que contribui para a preservação de alimentos. De acordo com pesquisas da Plastics Europe, que representa os fabricantes europeus de plásticos, o uso de embalagens plásticas contribui para a redução de 30% na perda de alimentos.

As principais resinas usadas na indústria plástica com essa finalidade são o polietileno linear de baixa densidade, o polietileno de baixa densidade e o polietileno de alta densidade. Além de embalagens rígidas, sacos do tipo ziplock garantem que o alimento mantenha suas características originais e o frescor por mais tempo.

O filme plástico PVC também promove maior conservação ao proteger os alimentos contra poeira, umidade e contaminações causadas pelo manuseio inadequado. Utilizado de maneira correta, esse produto permite que os alimentos mantenham sua integridade por mais tempo.

As embalagens plásticas são sustentáveis?

O fato de proporcionar maior durabilidade aos alimentos é, indiscutivelmente, um dos grandes benefícios do plástico na indústria alimentícia. Afinal, combater o desperdício é uma preocupação constante tanto da indústria quanto das nações, uma vez que a fome é um dos grandes problemas da sociedade atual.

Hoje, cerca de 30% do total dos alimentos produzidos são perdidos em todo o mundo, por falta de conhecimento ou de rotinas adequadas para a conservação. Esse dado é da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), que destaca que 1,3 bilhão de toneladas de itens comestíveis são perdidos anualmente.

No entanto, apesar de todos os benefícios, ainda existe um grande preconceito em relação à utilização do plástico, pelo seu tempo de degradação na natureza. Realmente, resíduos plásticos são capazes de gerar grandes contaminações e prejudicar a flora e a fauna, além de sobrecarregarem aterros.

Porém, o problema não é o plástico. Esse material proporciona diversas soluções fundamentais para a sociedade moderna, como no caso da conservação de alimentos. A questão é o desconhecimento da população acerca dos benefícios do descarte adequado.

O plástico pode ser encaminhado para reciclagem e reutilizado. Assim, o que seria um resíduo, capaz de provocar danos à natureza, contaminando a água e ocasionando problemas por acúmulo de rejeitos em aterros, transforma-se em matéria-prima novamente. Quando descartado de maneira consciente, o material é um insumo para várias indústrias, com importante valor comercial.

Além disso, a indústria de transformação plástica movimenta uma importante cadeia econômica, gerando emprego e renda para várias pessoas, desde cooperativas de catadores até grandes indústrias. É essencial desmitificar a ação do plástico na natureza. Ele não é um vilão, causador de poluição e de acidentes ambientais. O problema, na verdade, é a falta de conscientização.

O plástico, além de ser um produto com um ciclo de vida útil, capaz de gerar receita para vários mercados, é sustentável. Na indústria alimentícia, esse material tem um papel fundamental para evitar o desperdício de alimentos, e seu uso precisa ser encorajado, para que cada vez mais os consumidores conheçam os seus benefícios.

Gostou do nosso post? Então, siga nossas redes sociais para receber mais informações como essas. Estamos no Facebook, no LinkedIn e no YouTube!

Redes sociais:
Facebook
Facebook
Email
RSS
LINKEDIN