4 razões para se preocupar com a gestão de resíduos em sua empresa

De acordo com uma pesquisa realizada pela Câmara de Comércio Brasil-Alemanha, nosso país produz cerca de 2,7 milhões de toneladas de resíduos perigosos por ano. Isso significa que desenvolver um trabalho de gestão de resíduos não é um diferencial para as empresas, mas sim uma responsabilidade social na comunidade em que desempenham as suas funções.

Sendo assim, a gestão de resíduos pode ser conceituada como um conjunto de ações que são planejadas e adotadas pelas empresas para não apenas reduzir e eliminar resíduos gerados, mas também para ter um acompanhamento mais completo no ciclo produtivo, identificando práticas que podem contribuir para a preservação ambiental.

Mas como, de fato, desenvolver um projeto de gestão de resíduos em uma indústria? A resposta para essa pergunta é simples: reproduzindo aquilo que faz a natureza, ou seja, reutilizar os resíduos em outros subsistemas, garantindo assim a geração de um ambiente sustentável.

Para que você entenda mais sobre o assunto, desenvolvemos uma série de tópicos com 4 razões para se preocupar com a gestão de resíduos em sua empresa. Confira, a seguir.

1. É importante para a empresa

A importância da gestão de resíduos para as empresas, sobretudo as indústrias, se justifica por um conceito conhecido por 3 Rs: reduzir, reutilizar e reciclar. Trata-se de um método em que os Rs servem como diretrizes a serem seguidas em todos os processos produtivos da organização.

Desse modo, se uma indústria utiliza plástico na produção de um produto, por exemplo, pode usar o refugo ou retalhos que sobram após o término da fabricação para desenvolver produtos recicláveis. É possível até mesmo reprocessar esse material para que ele seja utilizado na produção de novas peças. Isso é pensar e agir com sustentabilidade, que, além de preservar o meio ambiente, também diminui os gastos da organização, uma vez que haverá diminuição no valor pago por matéria-prima.

A empresa também pode tirar proveito desse tipo de programa de controle de resíduos com ações do chamado marketing ambiental ou marketing verde, que consiste no processo de fabricação e venda de produtos sustentáveis. Isso também permite que as organizações utilizem técnicas de publicidade e propaganda para divulgar aos seus públicos o seu método de trabalho ecologicamente correto, conquistando assim mais credibilidade e uma imagem positiva no mercado.

Outro ponto que pode ser explorado é a adequação para a ISO 14.000, que tratam sobre sistemas de gestão ambiental. Assim, também é possível divulgar essa certificação aos clientes, comprovando que a empresa se preocupa com as questões ambientais.

2. Evita problemas para a organização

Atentar para os cuidados necessários com resíduos também é importante para que a empresa siga a legislação de forma correta. A Lei nº 12.305/10 institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, citando uma série de normativas que as indústrias devem seguir para o correto manejo dos resíduos. Caso a lei não seja cumprida corretamente, a empresa pode arcar com as consequências, tendo que pagar multas ou até mesmo ter as suas atividades suspensas.

A lei é bastante ampla e engloba regulamentações a serem adotadas pelas empresas fabricantes de embalagens, de pilhas e baterias, lâmpadas fluorescentes, produtos eletroeletrônicos, produtos para agricultura, entre outras. Por isso, ela deve ser analisada e lida com atenção pelo responsável pela coordenação da gestão de resíduos e também pelo setor jurídico da organização.

3. Possibilita a prevenção de danos para a sociedade e o meio ambiente

Até poucos anos atrás, quando não havia uma legislação mais rígida sobre a prevenção ambiental, era comum vermos empresas não se preocuparem com essas causas, descartando materiais ou resíduos tóxicos na natureza, por exemplo. Essa prática trazia danos para os ecossistemas e também para os moradores de áreas próximas ao descarte, que eram obrigados a sobreviver com o mau cheiro.

Apesar de, atualmente, as leis serem mais rigorosas, ainda existem algumas indústrias que não atentam para as questões ambientais e deixam de investir em programas de prevenção, muitas vezes não por má índole, mas por falta de conhecimento ou por ter uma cultura organizacional muito enraizada e que ainda não tem como uma norma fazer a gestão de resíduos.

Por isso, é relevante que essas empresas tenham a consciência de que, ao desenvolver um plano de controle de resíduos, não cumprirá apenas uma obrigação, mas sim contribuirá para uma sociedade melhor, bem como ajudará na preservação dos recursos naturais, algo que deveria ser do interesse de todos.

4. A gestão de resíduos é um processo simples de ser implementado

Apesar de parecer complexo em um primeiro momento, desenvolver um plano de gestão de resíduos é algo simples e que, se feito corretamente, pode passar a fazer parte do DNA da empresa, de modo que todos os colaboradores estarão conscientes sobre o seu papel no processo. Para isso, é necessário seguir 3 diretrizes básicas:

Caracterização

Nesse momento a empresa deve caracterizar os aspectos biológicos, físicos e químicos daquilo que precisa descartar. Os resultados dessas análises serão utilizados para saber qual destino dar a cada tipo de material.

Classificação

No momento da classificação deve-se fazer uma listagem com todos os materiais e substâncias que a empresa utiliza, bem como os riscos que eles podem causar à saúde pública e ao meio ambiente. Assim, todos os resíduos podem ser gerenciados corretamente.

Laudo de classificação

O laudo de classificação é um documento que identifica os materiais descartados pela empresa quanto ao enquadramento de resíduos, seguindo sempre os preceitos da NBR 10004/04. Esse documento deve ser sempre feito por um profissional habilitado, geralmente engenheiros ambientais.

De maneira geral, podemos dizer que as empresas têm diversas razões para se preocupar com a gestão de resíduos, uma vez que os impactos dessa prática não refletem apenas nelas, mas sim em toda uma sociedade.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a importância da gestão de resíduos, que tal continuar aprendendo sobre o assunto? Para isso, recomendamos a leitura de nosso artigo “O que é a política nacional de resíduos sólidos?”. Temos certeza de que essa leitura também será muito produtiva para a melhoria dos processos da sua empresa!

Redes sociais:
Facebook
Facebook
Email
RSS
LINKEDIN