Oportunidade na crise: como uma crise afeta a indústria no Brasil?

A lenta recuperação econômica brasileira e o risco de uma nova recessão global colocam o setor industrial em alerta. No entanto, esses cenários desafiadores conseguem fazer com que os empresários encontrem soluções criativas e tecnológicas para modernizarem seus processos de trabalho. É a oportunidade na crise.

Além da economia, a mudança no comportamento do consumidor — mais crítico a respeito da maneira como o seu consumo afeta o meio ambiente — pode fazer com que marcas que desenvolvam soluções relacionadas à reciclagem ou impacto ambiental cresçam nesse momento.

Para que você entenda melhor esses conceitos, decidimos fazer uma análise do cenário macroeconômico, buscando mostrar as oportunidades que o momento reserva aos empresários que estão atentos. Vamos lá?

Oportunidade na crise para quem entende o custo de empreender

É comum que o brasileiro se queixe do alto custo para empreender no Brasil. O que muitas pessoas se esquecem é que nem tudo é causado por escolhas equivocadas dos governantes. A geografia, por exemplo, afeta os processos relacionados à logística.

Para poder ir de São Paulo ao Rio de Janeiro, as duas maiores cidades em habitantes por m2, um motorista leva em média seis horas. A distância também dificulta a colaboração da capital paulista com outras capitais, como Curitiba e Belo Horizonte. Isso se deve à geografia do país, com suas cidades principais próximas ao litoral, e, portanto, à serra.

Além de elevar os custos para a implementação de uma malha ferroviária, essa distância faz com que os produtos brasileiros percam competitividade no mercado interno, uma vez que aumentam o preço para o consumidor final.

É interessante refletir sobre isso para que o empresário analise o cenário brasileiro para os fatores que vão além das manchetes dos jornais. Existem questões de infraestrutura que precisam ser debatidas com seriedade.

As recentes reformas vindas de Brasília, como a reforma trabalhista, reduziram o custo e as burocracias com a contratação. Trata-se de um exemplo de modernização que afetará positivamente a atividade industrial.

Necessidade de buscar melhores métodos para contratar

Todavia, de nada adianta uma reforma trabalhista se o empresário ainda tem falhas no seu departamento pessoal. Alta rotatividade de funcionários onera a produção. Portanto, modernizar esse processo é ideal para economizar capital: trata-se de mais uma oportunidade na crise.

O uso de dados e as novas táticas de análise de currículos, entrevistas e seleção tornaram a contratação mais certeira. No entanto, a empresa deve estar ciente de que alterações em salários e benefícios podem ser necessárias para atrair os melhores candidatos.

Ao contratar alguém que realmente tenha vocação para atuar em determinado segmento, o empresário ganha um profissional não só capacitado, como altamente motivado.

Aliás, muitas empresas estão optando por capacitarem elas mesmas esses trabalhadores, gerando valor para o seu negócio e evitando os custos com a rotatividade empresarial.

Conceito de indústria 4.0

A comunicação entre equipamentos e os dados que os processos industriais geram já é uma realidade em todo o mundo. Dessa maneira, a indústria tem acesso a informações valiosas, impossíveis de serem captadas sem o uso de tecnologia. Essa é mais uma oportunidade na crise: a de ter acesso aos dados da sua empresa.

A coleta incorreta de dados gera relatórios pouco confiáveis. Por sua vez, esses documentos condicionam o gestor a tomar decisões equivocadas. Isso acontece devido à dificuldade de obter informações seguras dos processos.

O uso de softwares desenvolvidos para determinados segmentos da indústria fez com que esse risco praticamente desaparecesse. Basta que os empreendedores entendam da necessidade de investir em tecnologia, considerando-a como uma forte aliada para esse período de mudanças — e não como um gasto.

É verdade que esse investimento ainda pode ser caro, devido ao custo de implantação, mas esse momento pode ser usado pela empresa para analisar atividades internas que devem ser modernizadas, preparando-se para a migração de tecnologia.

Uma dica para empresários é a participação em feiras e eventos relacionados à tecnologia industrial. A indústria brasileira está atualizada sobre a tecnologia 4.0, comercializando serviços que conseguirão atender à demanda nacional. É necessário, apenas, entender que o investimento na indústria 4.0 não é algo que ilustra o futuro, mas o presente das empresas.

Desafios ambientais

É fato que a agenda ambiental se tornou muito importante. As discussões em torno do lixo produzido pela humanidade saíram dos artigos científicos e ganharam as ruas. Uma prova disso foram as recentes proibições dos canudos de plásticos em várias cidades.

Quem atua no mercado de plástico sabe que essa medida é mais simbólica do que efetiva no combate à poluição. Esse conhecimento sobre um mercado tão relevante para todos os outros segmentos empresariais é um ativo que pode ser usado a favor do empresário do setor.

Nesse caso, as indústrias precisam investir em comunicação. Assim, conseguem desfazer possíveis mal-entendidos que o público tem sobre o mercado de plástico, ajudando a sociedade a compreender que o problema não é o material, mas, sim, o consumo que não é feito de maneira consciente ou a falta de coleta adequada.

Esse é um excelente momento para fortalecer essa indústria como um dos agentes capazes de contribuir para a solução de problemas ambientais.

Ao mesmo tempo, outros segmentos industriais dependem de soluções em plástico, produtos cada vez mais modernos para atender novas demandas. Isso mostra que o potencial do material está longe de ter terminado.

É importante que os investidores desse mercado se mantenham atentos às novas necessidades das outras empresas, evitando, por exemplo, que a indústria nacional precise recorrer ao mercado internacional em busca de produtos modernos, por exemplo.

Como vimos, existe oportunidade na crise. Por isso, o empreendedor não deve considerar esse momento de recuperação econômica como negativo, mas como a chance de repensar o seu negócio, pensando em obter melhora nos processos e aumento na competitividade. Essa é uma grande oportunidade para a indústria brasileira — principalmente em relação à expansão dos mercados consumidores, com a parceria Mercosul e União Europeia.

Se você quiser entender melhor os temas relacionados à competitividade na indústria, recomendamos o artigo “Otimização de processos: qual a relevância e como aplicar? Entenda!”. Nele, explicamos o que é esse termo e como ele causa impacto às empresas.

Redes sociais:
Facebook
Facebook
Email
RSS
LINKEDIN