Inovações tecnológicas na reciclagem de plástico no Brasil

O plástico é uma das principais preocupações para os ambientalistas, já que o material descartado pode demorar até 500 anos para se decompor. Pensando nisso, cada dia mais a tecnologia é usada para favorecer técnicas que tendem a diminuir esses impactos, como a reciclagem.

A reciclagem de plástico no Brasil tornou-se referência no mercado, sendo que a sua participação no setor de transformação de materiais plásticos já é de 9%. Para entender melhor como esse desenvolvimento tecnológico ocorre, vamos explicar alguns processos inovadores em diferentes áreas de uso do material. Siga conosco e boa leitura!

Na construção civil

O mercado de construção civil está investindo constantemente em tijolos de plásticos. Esse processo de reciclagem consegue transformar o plástico — vindo diretamente dos lixões — em vários tipos de materiais utilizados nos projetos arquitetônicos de casas, tanto populares quanto de alto padrão.

É claro que, depois da estrutura montada, que vai dos tijolos até vigas e cofragens, a casa ainda deve receber um revestimento de cimento misturado com isopor, que faz uma massa mais leve para contribuir no isolamento térmico e acústico. 

Essas obras costumam ser ágeis e de um nível tecnológico muito mais elevado, além de colaborar bastante com a natureza, já que, para fazer uma casa de 80 m², é necessário reciclar cerca de 2500 kg de plástico. Outra vantagem é o baixo custo de construção, pois é possível gastar menos espaço, dispensar os maquinários e reduzir a mão de obra especializada.

No design de móveis

Por ser moldado em quase qualquer forma imaginável e adquirir cores variadas, o plástico é um material precioso no design, sendo usado na área desde a década de 1940. O objeto que popularizou esse uso foi a famosa cadeira Eames, pensada por Charles e Ray Eames para casas modernas. Desde então, ele tornou-se um aliado no design de móveis, possibilitando formas que não eram possíveis com nenhum outro material. 

Pensando na sustentabilidade como um de seus pilares, hoje, é cada vez mais comum ver mostras e exposições dedicadas inteiramente a projetos feitos totalmente com lixo reciclável. As empresas usam fontes diferentes para o trabalho, como a garrafa PET, por exemplo, já que ela é uma das grandes responsáveis pelo acúmulo de plástico no mundo.

Na Maison & Object, uma das maiores feiras de design e decoração da Europa, foi apresentada, em 2018, uma linha de móveis desenvolvida somente a partir de brinquedos de criança, pois o plástico está presente em grande quantidade nesses itens. O processo começa pela coleta, depois passa pela triagem e limpeza e, então, o material é moído, gerando os flocos de plástico que serão usados na produção.

Na moda

A produção de tecidos recicláveis está cada vez mais comum. As empresas do ramo reciclam diferentes tipos de materiais plásticos, desde a garrafa PET até os plásticos encontrados no mar.

É produzido também uma fibra maleável e resistente, que pode ser usada desde a fabricação de roupas para a prática do esporte até a produção de tênis, chinelos e peças da “alta costura”, como provado por um vestido totalmente de plástico que a atriz Emma Watson usou recentemente em um tapete vermelho.

Na indústria da beleza

As embalagens de cosméticos têm um uso muito comum do plástico, encontrado geralmente em pastas de dente, xampus, cremes, escovas, pentes, pincéis de maquiagem, etc.

As empresas precisam ser criativas para destacar os seus produtos nas prateleiras, propondo embalagens cada vez mais coloridas e em formatos diferentes. Outra vantagem do uso do plástico em produtos é que eles proporcionam resistência no contato com a água, garantindo a segurança do produto. 

Preocupadas com a sustentabilidade de sua produção, algumas organizações brasileiras oferecem programas de trocas de embalagens plásticas, nas quais os clientes são incentivados a devolver as embalagens vazias nas lojas e, em troca, ganha um produto novo. Dessa forma, a empresa adquire uma chance de recuperar as embalagens, garantindo que elas sejam recicladas.

Há também os refis que proporcionam a chance do cliente comprar a embalagem completa apenas na primeira vez. Dessa forma, ele consegue comprar, em uma segunda visita, apenas o refil em uma embalagem mais simples. Algumas empresas vão ainda mais longe: além de encorajar o consumidor a fazer o descarte correto das embalagens dos produtos, as embalagens já são feitas de plástico 100% reciclado — uma inovação da reciclagem de plástico no Brasil.

Na vida doméstica

Não são apenas as empresas que são responsáveis pelos processos que levam até o uso do plástico na reciclagem. A reciclagem de plástico no Brasil pode começar pelo próprio consumidor, que ajuda por meio da coleta e separação.

Com o dia a dia cada vez mais conectado, não demorou muito para que a reciclagem também começasse a ser estimulada pela internet. No caso, o aplicativo Reciclagem de Plástico, disponível para celulares e tablets nos sistemas operacionais iOS e Android, ajuda o usuário a encontrar um lugar de coleta para todo o plástico separado.

São 1936 pontos de entrega voluntária (PEVs) espalhados por 61 cidades brasileiras. O aplicativo fornece o endereço do local baseado na localização da pessoa, e os tipos de plásticos recebidos por cada unidade são especificados. Podendo variar entre:

  • PET;
  • PVC;
  • PEAD; 
  • PP; 
  • PS; 
  • PEBD.

O aplicativo é um desenvolvimento da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST) em conjunto com a Braskem, a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas.

Muito está sendo feito hoje em dia para tornar o plástico menos negativo para o meio ambiente. A reciclagem é apenas um dos modos de transformação dos materiais plásticos, que ainda incluem a extrusão, a injeção, a rotomoldagem, entre outros. É importante que as empresas que fazem essas transformações preocupem-se com técnicas cada vez mais inovadoras, incentivando a pesquisa na área, o desenvolvimento de novas tecnologias e a redução dos impactos. 

Gostou de conhecer mais sobre a reciclagem de plástico no Brasil? Se você assinar a nossa newsletter, terá a oportunidade de receber diretamente no seu e-mail outras informações valiosas como as que você acabou de ler. O que acha da ideia?

Redes sociais:
Facebook
Facebook
Email
RSS
LINKEDIN