Fique por dentro de tendências da indústria do plástico

Sendo o quarto setor que mais emprega no Brasil, a indústria do plástico não para de inovar. Atualmente, esse material é aproveitado em diversos setores da economia, de brinquedos a roupas, passando pelas peças dos carros e impressões 3D.

Diante de um “mar de possibilidades”, sempre é importante você se atualizar sobre as novidades. Afinal, a sua empresa pode estar bem próxima de encontrar um excelente nicho de mercado.

O plástico está por todos os lados da sociedade: consultórios dentários, equipamentos de mobilidade, campos de futebol, embalagens de alimentos e cosméticos, entre muitos outros lugares. Não deixe de conhecer algumas importantes tendências desse setor, continuando a leitura deste artigo!

Importância da inovação na indústria do plástico

A constante busca por uma forma de produção que otimizasse o tempo e preservasse o meio ambiente, além do crescimento da competitividade entre as empresas, fizeram com que a indústria do plástico automatizasse os seus processos. Assim, houve redução nos custos e aumento na qualidade dos produtos.

Atualmente, os robôs estão atuando em diversos processos, como no tratamento de matérias-primas. Sem a robótica, dificilmente haveria uma grande produção para atender ao mercado consumidor, dos roll-ons às garrafas PET.

Até mesmo as cooperativas de reciclagem ficariam para trás, pois haveria muito desperdício de tempo para separar todos os materiais, sem falar no aumento das perdas.

A automação do setor cresceu tanto nos últimos anos que, em 2015, houve uma produção global de 33,9 milhões de euros em máquinas para as indústrias de plástico e borracha.

Trata-se de uma fatia da economia que aumenta na mesma velocidade em que ocorre o consumo de plástico, ou seja, só tende a contribuir para mais investimentos e inovações. Quer ficar antenado em algumas delas? Veja a seguir.

Áreas de destaque

No consultório odontológico

Além dos conhecidos materiais, como luvas, óculos, seringas estéreis, viseiras de proteção e toucas, a indústria do plástico está contribuindo para uma revolução nos consultórios odontológicos.

Com o desenvolvimento das peças em 3D, os profissionais estão criando réplicas de mandíbulas, crânios, arcadas dentárias, projetos de próteses, entre outros.

O setor utiliza em grande escala os plásticos de tipo:

  • ABS (acrilonitrila butadieno estireno): leve e resistente;
  • PLA (ácido polilático): polímero biodegradável;
  • PMMA (polimetilmetacrilato): o mesmo utilizado em cirurgias estéticas.

Entre as vantagens do uso do plástico, podemos citar maior higienização nos processos, rapidez e menos incômodos para o paciente, ou seja, a tendência é um verdadeiro avanço rumo à excelência no tratamento dentário.

Na produção de tecidos plásticos

Apesar de as indústrias do plástico e têxteis serem antigas parceiras em razão do nylon, os setores ganharam ainda mais força, a partir de 2010, devido ao fato de uma empresa italiana ter desenvolvido uma nova fibra batizada de econyl.

Com ela, o mercado recebeu roupas com as mesmas propriedades do nylon, mas com características menos agressivas ao meio ambiente.

A empresa garante que 10 mil toneladas de fio de econyl economizam 70 mil barris de petróleo e 57 mil toneladas de gás carbônico. E o melhor: as fibras são produzidas com resíduos plásticos retirados do mar!

A companhia já conta com maiôs, sungas, biquínis e puffs. Dessa maneira, as pesquisas estão revelando novas possibilidades de reúso para o plástico, mostrando que o material pode ser um aliado do ser humano em busca de uma vida melhor.

No campo de futebol

O mercado da bola está recheado de novidades envolvendo a indústria do plástico. As caneleiras mais modernas incorporam células de ar para ajudar na proteção — não só contra lesões como também para diminuir a dor quando uma bola atinge as pernas dos jogadores a mais de 100 km/h.

Plásticos modernos estão nas luvas dos goleiros e fazem dos uniformes dos atletas e árbitros itens mais duráveis e confortáveis, além de mais resistentes a rasgos e desbotamentos.

A Seleção Brasileira, por exemplo, entra em campo com camisas feitas com garrafas plásticas recicladas. Já as chuteiras com bases plásticas são mais resistentes à água, duráveis e fáceis de limpar.

Como a busca por melhores índices de desempenho é uma premissa no esporte, as chuteiras mais modernas foram inspiradas nos calçados de ciclismo, com a parte superior em microfibra de plástico ultraleve, eliminando a palmilha rígida e pesada de modelos mais antigos.

Além disso, os estádios podem contar agora com gramas artificiais. Um exemplo foi o Mundial da Rússia, pioneiro na utilização do tapete sintético, o que mantém o padrão de jogo mesmo em condições climáticas desfavoráveis. A escolha reduz o consumo de água e necessita de menos manutenção.

Ainda com relação aos avanços na tecnologia no mundo da bola, podemos citar as espumas e coberturas de plástico que proporcionam amortecimento e durabilidade bem superiores a outros tempos.

As coberturas dos estádios e cadeiras também são feitas com plásticos, contando com a maior resistência dos policarbonatos. Eles têm menor peso, garantindo mais conforto, segurança  e durabilidade, sem falar na maior proteção tanto dos profissionais quanto da torcida dos efeitos dos raios ultravioleta e também das adversidades climáticas.

Nas embalagens de alimentos

A indústria alimentícia está em sintonia com a de plástico, unindo o útil ao agradável e pensando na qualidade de vida da população. Atualmente, existem embalagens antimicrobianas, como sachês.

Outra tendência que está em plena expansão no Brasil é a de processamento de frutas e hortaliças. Embalagens específicas asseguram a qualidade dos produtos, que já vêm lavados, cortados, devidamente sanitizados e com todas as etapas que garantem tanto a conservação quanto a textura natural dos alimentos cumpridas.

Trata-se de um desenvolvimento totalmente eficaz para quem tem a agenda lotada no dia a dia e busca sempre a otimização do tempo, sem deixar de lado a qualidade de vida.

Assim, as embalagens são 100% recicláveis e usam resinas em sua composição. Já as voltadas aos produtos congelados têm polietileno de baixa densidade ou filmes laminados de politereftalato de etileno.

No caso das mercadorias frescas, existem várias combinações de materiais plásticos nas embalagens para uma correta conservação, principalmente associadas à microperfuração, mantendo a temperatura ideal para que nada estrague.

No espaço sideral

Você pode se perguntar: terá plástico fora da Terra? Pois saiba que sim. Após um concurso que teve como vencedor um colégio de São Paulo, a Agência Espacial Norte-Americana (NASA) confirmou que vai testar um plástico verde para formar uma mistura junto ao cimento para futuras construções de edificações no espaço.

A NASA já utiliza impressões 3D nas estações, produzindo ferramentas tendo o plástico como matéria-prima, ou seja, a inovação pode revolucionar novos projetos por aqui, tendo em vista que o plástico verde não utiliza o petróleo em sua composição.

Nas hortas urbanas automatizadas

A produção de hortaliças, verduras e legumes em pequenos espaços é uma tendência que ganha força a cada dia nas metrópoles brasileiras, e o plástico acompanha esse movimento.

Ele está inserido em diversos componentes das hortas automatizadas, como na mangueira que conduz a água e nos conectores. O plástico ainda está nos vasos e reservatórios de água.

Sensores de fluxo de água e de umidade, sem falar na válvula solenoide, contam com o material, contribuindo para a preservação e melhorando o desenvolvimento das plantas.

Nas embalagens de cosméticos

Seja em sua casa, seja nos salões de beleza, o plástico sempre esteve e continuará presente nos diferentes tipos de embalagens, de produtos de higiene pessoal a cosméticos.

Hoje, a novidade é o capricho nas embalagens, além da união com o alumínio para aumentar a durabilidade. Versátil, sustentável e leve, o plástico das embalagens vem na forma de poliuretano, poliestireno, PVC (policloreto de vinila), policarbonato, polietileno e polipropileno.

Como você observou em nosso artigo, a indústria do plástico promete tendências que certamente marcarão ainda mais o cotidiano da população. Por isso, o uso correto do material e a devida conscientização ambiental devem sempre ser prioridade em sua empresa!

Após conhecer as tendências do plástico para os próximos anos, veja agora os 6 materiais plásticos mais utilizados na indústria!

Redes sociais:
Facebook
Facebook
Email
RSS
LINKEDIN