Veja como está ocorrendo a substituição de metal por plástico na indústria

À medida que preços mais competitivos refletem como uma exigência do mercado, a substituição de metal por plástico tem se tornado a prática mais viável para as indústrias conseguirem cumprir com essa nova tendência, sem abrir mão da qualidade de seus produtos.

Na indústria automobilística, por exemplo, o metal vem sendo substituído pelo plástico desde a década de 1970. Nessa época começaram a surgir os polímeros de alto desempenho — material plástico que oferecia uma série de vantagens em vários aspectos  — e proporcionaram uma queda no custo de produção, com uma considerável economia aos proprietários de automóveis e é claro, benefícios ao meio ambiente.

Quer saber um pouco mais sobre a aplicação do plástico na indústria automobilística, as vantagens dessa substituição, bem como os benefícios ao meio ambiente? Então fique com a gente e tenha uma ótima leitura!

Como o plástico é aplicado na indústria automobilística?

Você sabia que com o plástico o seu carro chega a ser até 30% mais leve? Sim! E isso, com certeza, pode proporcionar uma série de benefícios para a indústria. No caso do setor automotivo, isso é possível por conta da substituição de metal por plástico na confecção de partes ou peças que compõem um veículo.

E acredite, mesmo sendo mais leves os carros passaram a ser mais seguros, confortáveis e resistentes. Se você parar para analisar um carro por um momento, logo perceberá sem qualquer dificuldade a presença do plástico em sua composição.

No lado externo, você notará o plástico no para-choques, na carcaça dos faróis, maçanetas, grades de ventilação do motor, envolvedor dos espelhos retrovisores e outras partes mais. No lado de dentro, você perceberá que o painel também foi feito em plástico, além das engrenagens dos cintos de segurança, roldanas dos vidros e etc.

Quanto às partes que a princípio ficam ocultas aos olhos, seja por ficarem protegidas pelo capô ou até mesmo por conta de ficarem na parte inferior ou interna da funilaria, é preciso considerar que nelas o plástico é aplicado em partes ou peças como o sistema de refrigeração, componentes dos bicos injetores, galeria de injeção, reservatórios e outras partes mais.

Certamente você deve ter notado que a substituição de metal por plástico na indústria automobilística foi executada em várias partes de um automóvel, não é mesmo? E, como falamos antes, esse processo proporciona alguns benefícios. 

Quais são os benefícios da substituição de metal por plástico?

Trocar um material pesado por um mais leve, às vezes pode nos causar a impressão de que o produto final perde qualidade e durabilidade. Afinal, o plástico parece ser mais frágil que o metal, certo? Errado! A adoção de um material mais leve como é feito na indústria automobilística, por exemplo, só tem trazido benefícios. Veja agora mesmo quais são eles:

Redução do peso das peças

As peças de um automóvel chegam a ficar de 5 a 8 vezes mais leves quando o plástico passa a ser a sua matéria-prima.

Redução no peso total

Se as peças ficam mais leves, logo o peso total do veículo também fica menor. Ah, e vale informar também que o plástico chega a corresponder até 10% do peso total de um automóvel. Então, quanto maior a presença do plástico, mais leve o automóvel tende a ficar.

E você sabia que o próximo benefício que falaremos está diretamente relacionado à redução no peso total? Veja agora!

Economia de combustível

Quando um automóvel é mais leve, menos ele “exige” de seu motor. Logo, menos combustível ele consome e isso é claro que agrada o bolso de todo mundo, não é mesmo? Quem não gosta de economizar nos gastos com combustível?

Resistência das peças

Ledo engano se você acha que por conta da leveza, o plástico possibilita a fragilidade das peças. Muito pelo contrário. Por não ser um material rígido, podemos até afirmar que ele pode suportar fortes impactos melhor que o metal.

Facilidade do manuseio

Este benefício é diretamente relacionado ao que falamos sobre peso. As mais leves peças em plástico podem facilmente ser conduzidas por maquinário ou até mesmo por força humana. E o melhor de tudo é que o material é mais anacrônico se comparado ao metal, ou seja, tem um melhor encaixe seja onde for necessário.

Redução de custos

Isso é possível tanto por conta dos dispêndios do processo de fabricação das peças plásticas serem menores, quanto por conta da logística desde a origem de cada material. Com isso, há margem para que as indústrias pratiquem preços mais competitivos no mercado sem abrir mão do lucro.

Variadas possibilidades de projetos

Levando em conta a versatilidade do plástico, é possível que um engenheiro ou designer de produto possa desenvolver qualquer tipo de peça. O plástico é facilmente moldado e elimina assim uma etapa pós-produção de lapidamento de uma unidade produzida. Além disso, o material pode ser pigmentado com a cor desejada ainda no estágio de sua produção, não posteriormente como acontece no caso do metal.

Se você chegou até aqui, com certeza deve estar encantado com tantos benefícios da substituição de metal por plástico, não é mesmo? E sabe o que é melhor? Não para por aqui. Continue com a gente e confira os benefícios para o meio ambiente!

Quais são os benefícios ambientais da substituição de metal por plástico?

Quando falamos sobre a viabilidade de algo como um processo de substituição como o que estamos tratando aqui temos de ir mais longe, ou seja, abordar além da questão da redução de custo e da praticidade, mas também falarmos sobre os impactos positivos para o meio ambiente. Veja abaixo alguns deles:

Redução de gases

Com o emprego do plástico na indústria é possível reduzir os gastos excessivos de energia e com isso reduzir consideravelmente o lançamento de gases do efeito estufa na atmosfera. Só para termos ideia, para cada quilo a menos no peso de um automóvel, 20 quilos de dióxido de carbono deixam de ser lançados na atmosfera.

Menos riscos à saúde

Enquanto o metal é extraído do solo por meio de um processo bastante agressivo tanto ao solo, quanto para quem pratica tal extração, no caso do plástico, não há tantos riscos à saúde. Isso porque o material é obtido a partir de um processo muito diferente e parte dele é proveniente de resíduos domésticos.

A prática de substituição do metal por plástico como um todo é bem lenta, bem como em outras matérias-primas. Como mencionamos anteriormente, o plástico vem sendo introduzido na indústria automobilística desde os anos 1970, algo ainda novo, mas que certamente se tornará cada vez mais tendência, afinal de contas, com tantos benefícios, por que não considerar tal prática?

Gostou do nosso artigo de hoje sobre a substituição de metal por plástico? Então, que tal aproveitar mais um dos nossos conteúdos relevantes e aprender sobre a indústria 4.0?

Redes sociais:
Facebook
Facebook
Email
RSS
LINKEDIN