Indicadores de desempenho logístico: o que são e quais acompanhar?

Qualquer gestor almeja a eficiência produtiva da sua empresa: obter o máximo de produção, no menor tempo de trabalho, com os menores custos possíveis e cujo resultado de processo são produtos de qualidade total.

A eficácia dessa gestão começa com o monitoramento e a análise de indicadores de desempenho logístico, também chamado de KPI (Key Performance Indicator) Logístico, cujos índices orientam as empresas na busca de melhores resultados operacionais, no desenvolvimento de habilidades e na identificação de possíveis gargalos com alternativas para solucioná-los.

Apesar de sua importância, uma avaliação por meio de KPI é comumente feita de forma errônea, com a análise de apenas uma variável para qualificar, ou não, alguns resultados.

Nesse post, vamos explicar quais as vantagens de utilizar os KPIs numa gestão, como definir os melhores indicadores de desempenho logístico para o seu negócio e quais os indicadores mais usados. Confira!

Como obter informações para desenvolver indicadores de desempenho logístico

Com sistemas de informações gerenciais, como um software ERP (Enterprise Resource Planning), é possível gerar dados confiáveis, em tempo real e que, de maneira eficaz, possibilitam o acompanhamento de todos os processos da empresa. A confiabilidade da informação é consequência da eliminação de relatórios manuais.

Essa rapidez no fluxo de informações auxilia a tomada de decisão por parte da empresa, além de integrar os diferentes processos executados em todos os setores. Essa integração também amplia a capacidade de gerenciamento e permite que seja melhorada a comunicação entre os agentes produtivos.

Desafios na avaliação de KPIs

Entre os grandes desafios para uma avaliação de indicadores de desempenho logístico estão:

  • a difícil mensuração de alguns fatores como, por exemplo, o capital intelectual, desenvolvido a partir da qualificação profissional de alguns colaboradores, exigido em determinadas fases do processo produtivo;
  • o processo de delimitar os objetivos e o momento exato para implantar as mudanças no ambiente organizacional;
  • a falta de critérios ou deficiência no conhecimento teórico que confere embasamento para a escolha dos indicadores;
  • a integração de ideias nos diferentes setores da empresa;
  • a necessidade de manter a mensuração após a conclusão da análise, ou repeti-la após um período para aprimoramento dos índices.

Exemplos de indicadores de desempenho logístico

Giro de estoque

Relação entre produção, consumo ou desperdício e saldo final do estoque. Pode indicar vantagem, já que menor volume de estoque significa maior número de vendas ou desvantagem, já que ao invés de vendas, o alto giro pode significar perdas.

Lead Time ou OCT (Order Cicle Time)

No Supply Chain Management, é o prazo entre o pedido do cliente e a entrega do produto em sua casa. Pode variar de acordo com as características do produto, distância de entrega, se a empresa disponibiliza centros de distribuição secundários para armazenagem estratégica etc. Em um ambiente competitivo como o encontrado na Internet com o e-commerce, o índice de lead time nunca deve ser alto. É importante acompanhá-lo para identificar em qual fase está a deficiência: no transporte, no picking, aumento de demanda ou furos no estoque.

Índices de acidentes de trabalho

Índices baixos indicam conformidade da empresa com as Normas Regulamentadoras (NRs) de segurança no trabalho e demonstram comprometimento com os colaboradores.

Stock Out

O momento em que um produto tem, no estoque, um saldo negativo. É um lucro não realizado, mas se analisado no mercado, pode ser um impacto negativo no nome da empresa pela indisponibilidade do item e o não suprimento de uma demanda.

A vulnerabilidade no controle físico do item também possibilita maior ocorrência de desvios.

Custo de manutenção do estoque

Também chamado de custo de oportunidade, é o valor que se paga para manter um estoque em detrimento de um possível investimento no mercado financeiro. Por meio de sua avaliação, é possível determinar uma política de custos excessiva que prejudica a liquidez da empresa.

Custo do transporte

É a taxa com a locomoção incidida sobre a produção. Seu aumento indica ou o aumento no preço final, prejudicial ao relacionamento da empresa com o cliente e perda de competitividade no mercado, ou a diminuição da margem de lucro por produto, que diminui o resultado da empresa.

Índice de avaria no transporte

Levantamento que indica o valor ou quantidade de perdas de produtos durante o seu transporte. Demonstra falhas no processo de logística e coloca em risco a credibilidade da empresa. É influenciado pelo risco inerente à especificidade dos produtos, principalmente quanto aos produtos perecíveis, embalagem utilizada para acondicionamento dos mesmos, velocidade dos veículos, cuidados no manuseio, montagem da carga para entrega, etc.

Acuracidade de inventário

Relacionada à organização do estoque. Quanto maior o índice, maior a coerência entre as informações obtidas na contagem do estoque físico e do estoque virtual, relacionado no software de gestão empresarial.

É avaliado após elaboração do inventário, remete à falta de organização, como também à ineficiência no lançamento de informações (entrada de notas fiscais e saídas com lançamento de vendas). Sua análise é essencial para uma valoração de estoque eficaz, além de apontar desvios, roubos, vendas mal feitas, entregas erradas etc.

Nível médio de estoque

Permite acompanhar níveis de estoque a fim de evitar excessos e faltas. Para ser elaborado, é preciso acompanhamento da demanda, prazo médio de entrega, nível de produtividade, disponibilidade de insumos etc.

Índice de atendimento de pedidos

Demonstra a capacidade da empresa em atender às demandas do mercado e sua eficiência produtiva.

OTIF (On Time, In Full)

Representa a eficiência no cumprimento de prazos e se a entrega do produto atendeu às expectativas do consumidor, que está cada dia mais exigente no que tange à personalização nessa etapa. Esse indicador deve ter sempre níveis altos para possibilitar o Customer Success.

OTD (On-Time Delivery)

É uma forma simplificada do OTIF e, por isso, é menos usado: leva em consideração apenas o percentual de pedidos entregues no prazo, independentemente das especificações dos produtos.

OFR – Order Fill Rate

Consiste no tempo interno demandado para o processamento de um pedido, desde o picking (seleção no estoque), packing (embalagem) até a expedição para transporte. Difere-se do OCT porque esse mede o ciclo até a chegada do produto ao cliente, e o OFR somente até o início do despacho.

Vantagens no uso de KPIs logísticos

Entre muitas vantagens adquiridas pela empresa em relação à produtividade, resultados de venda e competitividade, podemos destacar:

  • a facilidade na identificação de gargalos;
  • a melhora dos resultados logísticos;
  • o alcance de índices de eficiência operacional;
  • a facilidade na tomada de decisão;
  • o aumento de segurança nas operações;
  • o aumento da satisfação do consumidor;
  • o aumento da capacidade de atendimento da empresa.

O uso de indicadores de desempenho logístico apontam quais as reais necessidades da empresa, evitando, com isso, um gerenciamento descentralizado e uma equipe desmotivada.

Agora que você já sabe como utilizar KPIs no seu negócio, assine nossa newletter e receba mais informações que irão te ajudar a otimizar o seu controle!

Redes sociais:
Facebook
Facebook
Email
RSS
LINKEDIN